Arquivo da tag: animais

KATIA VEGANA YOUTUBE

O CANAL KATIAVEGANA NO YOUTUBE

PARA VISITAR O CANAL KATIA VEGANA CLIQUE AQUI!
Anúncios

O QUE É O VEGANISMO E QUEM SÃO OS VEGANOS?

Olá! Hoje a nossa conversa vai ser sobre a confusão que ainda existe sobre o que é o veganismo e quem são os veganos. Resolvi fazer este vídeo, porque fico indignada quando vejo como algumas pessoas que não sabem nada sobre o veganismo, mesmo assim, ficam determinando quem é vegano e quem não é. Entretanto, o mais grave é quando dizem que o Veganismo é uma mera dieta vegetariana. Para piorar, dizem que vegano que não é naturalista, não é vegano.

Continuar lendo O QUE É O VEGANISMO E QUEM SÃO OS VEGANOS?

veganismoxcomer carne

VEGANISMO X CONSUMO DE CARNE
7 Argumentos a favor do Veganismo

capa_motivos_vegan

Hoje, vou mostrar 7 argumentos a favor do veganismo, baseado no impacto que o consumo da carne causa no nosso Planeta. Desde que aderi ao vegetarianismo aos 19 anos, em 1989, e em 2015 ao veganismo, sempre ouço uma pergunta feita por algumas pessoas que ainda não conhecem os princípios do movimento vegan. A pergunta é: Aderir ao veganismo, e consequentemente ter uma dieta vegana, não destrói mais o nosso planeta, especialmente as florestas, mais que o consumo da carne?
Então, respondo esta pergunta, usando alguns argumentos que aprendi vendo o filme A Engrenagem, produzido pelo Instituto Nina Rosa.

Continuar lendo veganismoxcomer carne

O VÍDEO MY STORY

Quando vi o Vídeo My Story tornei-me vegana

O Vídeo My Story foi decisivo para tornar-me vegana. O vídeo começa com uma mulher contando, por meio de pequenos cartazes, como as vacas são maltratadas para os humanos beberem seu leite e comerem seus derivados. O vídeo é comovente. Se alguém quiser de um incentivo para aderir ao veganismo, basta assistir este vídeo, que tem grande chance de se tornar vegano imediatamente. Foi o que aconteceu comigo. Veja agora o MY STORY. 

Shampoo de canela Surya

Shampoo de Canela & Cupuaçu da Surya Brasil

surya_capa_youtube

Quem acompanha este blog e o meu canal no Youtube sabe da minha paixão pela Surya Brasil. Na verdade é mais que paixão, é AMOR. Não me canso de dizer, o quanto adoro os produtos da Surya.  Sempre que vou na Piedade, aqui em Salvador, dou uma passadinha em uma loja de cosméticos para comprar algum produto maravilhoso desta empresa.

Continuar lendo Shampoo de canela Surya

OS TIPOS DE FEIJÕES

TIPOS DE FEIJÕES E SEUS NUTRIENTES

capa_feijao_youtube_2

Oi gente! Hoje vou compartilhar com vocês algumas informações sobre os tipos de feijões que vegetarianos e veganos podem incluir na sua alimentação, bem como quais os nutrientes do feijão e dar algumas dicas de preparo deste delicioso e saudável alimento. Continuar lendo OS TIPOS DE FEIJÕES

VÍDEOS – NOSSOS IRMÃOS ANIMAIS

EU E MEUS FILHOS

EU E MEUS FILHOS FELINOS E CANINOS

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_1 Nicole, Donatello e Francesco. Fotos: Roberto Monteiro

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_17

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_19

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_11

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_13

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_2

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_5

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_6

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_7

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_8

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_12

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_15

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_16

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_3

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_4

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_7

EU_DON_FRAN_NIK_ETIQUETA_9

EU DANDARA(gata), FRANCESCO E DONATELLO

Estas fotos foram feitas para o post da receita de Bolo de Morango Vegan. Para ver a receita CLIQUE AQUI

EU_DANDARINHA_DON_CESCO cópiaFoto: Roberto Monteiro

EU_DANDARA_BOLO

EUDANDARAVEGAN1

EUDANDARAVEGAN2

EU_DANDARA_DONATELLO_FRANCESCO_ETIQUETA

EU_DANDARA_DON_ETIQUETA

EU E MEU AMADO FILHO PAPYLLON

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_24Foto: Roberto Monteiro

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_14

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_15

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_20

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_6

 

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_5

EU_PAPYLLON_ETIQUETA_4

UMA VIDA DE ELEFANTE

UMA VIDA DE ELEFANTE

UMA VIDA DE ELEFANTE foi produzido pela PETAPeople for the Ethical Treatment of Animals e traduzido pela Associação Protetora dos Animais São Francisco de Assis – APASFA. Este material pode ser divulgado em sites, blogs e outros meios de comunicação por educadores, membros de ONGs de defesa dos animais, bem como todas as pessoas engajadas na luta pelos direitos dos animais, desde que o propósito da divulgação seja educativo e sem fins lucrativos. Se quiser mais material educativo, visite o site da APASFA, que você encontrará muitas novidades interessantes para ajudar no processo de educação especialmente de crianças e adolescentes. Vale a pena visitar o site da APASFA.
Uma Vida de Elefante foi produzido pela PETA – People for the Ethical Treatment of Animals e traduzido pela Associação Protetora dos Animais São Francisco de Assis – APASFA.
Uma Vida de Elefante foi produzido pela PETA – People for the Ethical Treatment of Animals e traduzido pela Associação Protetora dos Animais São Francisco de Assis – APASFA.

. Continuar lendo UMA VIDA DE ELEFANTE

Simplesmente Gatos – Artur da Távola

 GATOPRETO

Simplesmente Gatos

Artur da Távola

“Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso…nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece.

Continuar lendo Simplesmente Gatos – Artur da Távola

Como cuidar de um gato

Como cuidar de um gato

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
    • Alimentação

Alimente seu  bichano duas vezes ao dia, num lugar calmo e isolado. Ele precisa de sossego para comer direito. Não se esqueça de lhe deixar água fresca sempre à disposição. Quando filhote, o gatinho deve ser alimentado no mínimo três vezes ao dia.

Continuar lendo Como cuidar de um gato

ANIMAIS CURAM!

Animal em casa pode significar boa saúde para as crianças

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Crianças que vivem em lares onde existem animais domésticos têm organismos mais preparados para se defender de eventuais problemas de saúde. É o que indica um novo estudo apresentado por pesquisadores da universidade britânica de Warwick. Liderados por June McNicholas do Departamento de Psicologia da universidade, especialistas analisaram amostras de saliva de 138 crianças e detectaram que as que mantiveram contato com animais correm menor risco de contrair infecções.

Continuar lendo ANIMAIS CURAM!

Circo legal não tem animal

Circo legal não tem animal

Campanha contra o uso de animais em circos.
Fantástica Campanha publicitária: “Os animais não são palhaços” feita pela Liga Portuguesa dos Direitos do Animal – LPDA, em parceria com a Acçao Animal, entidade internacional de defesa dos animais, contra a utilização de animais em circos.
Muitas pessoas ainda acreditam que o circo é um bom divertimento para todos. Crianças e adultos têm sido enganados ao pensar que os animais de circo são felizes. A maioria das pessoas só os vê soltos e fora das jaulas sob luzes fortes, cercados por músicas e brilho. Poucos sabem que esses animais são mantidos acorrentados e enjaulados na escuridão, treinados sob tortura, negados ao sol e ao ar fresco a maior parte de suas vidas.

Continuar lendo Circo legal não tem animal

O raciocínio matemático dos animais de Elberfeld

O raciocínio matemático dos animais de Elberfeld

Foto: Ilustração
Foto: Ilustração
Em 1912, pubicavam-se, no Annales des Sciences Psychiques, os resultados das experiências realizadas, em Elberfelde, Alemanha, com os cavalos Nuhamed e Zarif. Esses inteligentes animais – informa Gabriel Delannne -, por meio de um alfabeto convencional, podiam executar cálculos complicados, indo mesmo até à extração de raízes quadradas e cúbicas.

Continuar lendo O raciocínio matemático dos animais de Elberfeld

Eles existem. Logo, pensam

Eles existem. Logo, pensam

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Testes realizados nos Estados Unidos provam que os animais sabem raciocinar e conversar. Só não conseguem ler o filósofo Descartes.

O filósofo e matemático francês René Descartes errou: os animais pensam. Assim como muitos cientistas que o antecederam ou precederam, Descartes( 1596 – 1650 ) achava “uma irracionalidade” considerar os animais dotados de inteligência. È inconcebível achar que os animais usem palavras ou signos, juntando-os como nós fazemos”, sentenciou ele em 1637. Faltou para o gênio francês aquilo que os humanos conceituaram como humildade.

Continuar lendo Eles existem. Logo, pensam

Denuncie maus-tratos

filhote-cachorro-20131230-size-598
Como denunciar maus tratos aos animais

DIREITOSDOSANIMAIS

Como denunciar maus-tratos contra animais

Um breve estudo sobre como tratar na Delegacia de Polícia para denunciar maus-tratos a animais e obter o B.O. (Boletim de Ocorrência).

Por Dra. Cristina Urquiola – Advogada

Caso você veja ou saiba de maus-tratos (ex:.manter animalcachorronaoebriquedo trancafiado em locais pequenos ou mantê-lo permanentemente em correntes; envenenamento de animal; manter o animal em lugar anti-higiênico; golpear, mutilar um animal; utilizar animal em shows que possam lhe causar pânico ou estresse; agressão física a um animal indefeso; abandono de animais; não procurar um veterinário se o animal adoecer etc.- [ver art. 3º do Decreto Federal 24.645/34]), não pense duas vezes: vá à delegacia mais próxima para lavrar boletim de ocorrência ou, na dúvida, no receio, compareça ao fórum para orientar-se com o Promotor de Justiça. A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal n.º 9.605 de 1998 (Lei de Crimes Ambientais).

Preste atenção a esta dica: leve com você, por escrito, o número da lei (no caso a 9605/98) com o art. 32, porque em geral a autoridade policial nem tem conhecimento dessa lei, ou baixe pela internet a íntegra da lei para entregá-la na Delegacia.

Assim que o Escrivão ouvir seu relato sobre o crime, a ele cumpre instaurar inquérito policial ou lavrar um Termo Circunstanciado. Se se negar a fazê-lo, sob qualquer pretexto, lembre-o que ele pode ser responsabilizado por crime de prevaricação, previsto no art. 319 do Código Penal (retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal). Leve esse artigo também por escrito naquele mesmo pedaço de papel.

O Escrivão irá tentar barrar o seu acesso ao Delegado, mas faça valer os seus direitos, exija falar com o Delegado que tem o dever de lhe atender e o dever de fazer cumprir a lei, principalmente porque você é quem paga o salário desses funcionários, com seus impostos. Diga que no Brasil os animais são “sujeitos de direitos”, vez que são representados em Juízo pelo Ministério Público ou pelos representantes das sociedades protetoras de animais ( §3º, art. 2º do Decreto 24.645/34) e que, se a norma federal dispôs que eles são sujeitos de direitos, é obrigação da autoridade local fazer cumprir a lei federal que protege os animais domésticos.

Como último argumento, avise-o que irá queixar-se ao Ministério Público, à Corregedoria da Polícia Civil e, ainda, que você fará uma denúncia ao Secretário de Segurança Pública (aliás, carregue sempre esses telefones na sua carteira). Para tanto, anote o nome e a patente de quem o atendeu, o endereço da Delegacia, o horário e a data e faça de tudo para mandá-lo lavrar um termo de que você esteve naquela delegacia para pedir registro de maus-tratos a animal. Se você estiver acompanhado de alguém, este alguém será sua prova testemunhal para encaminhar a queixa ao órgão público.

Se você tiver em mãos fotografias, número da placa do carro que abandonou o animal, laudo ou atestado veterinário, qualquer prova, leve para auxiliar tanto na Delegacia quanto no MP.

SAIBA QUE VOCÊ NÃO SERÁ O AUTOR DO PROCESSO JUDICIAL QUE PORVENTURA FOR ABERTO A PEDIDO DO DELEGADO. Sabe por que? Preste atenção: O Decreto 24.645/34 reza em seu artigo 1º que: “Todos os animais existentes no país são tutelados pelo Estado”; e em seu artigo 2º – parágrafo 3º, que : “Os animais serão assistidos em juízo pelos representantes do Ministério Público, seus substitutos legais e pelos membros das Sociedades Protetoras dos Animais”. Logo, uma vez concluído o inquérito para apuração do crime, ou elaborado o Termo Circunstanciado, o Delegado o encaminhará ao Juízo para abertura da competente ação, onde o Autor da ação será o Estado.

Se o crime for contra Animais Silvestres (Animal Silvestre: são todos aqueles animais pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham a sua vida ou parte dela ocorrendo naturalmente dentro dos limites do Território Brasileiro e suas águas jurisdicionais – fonte: http://www.renctas.org.br, e-mail: renctas@renctas.org.br), pode também dar ciência às autoridades policiais militares, mas, em especial, à Policia Florestal ou ao IBAMA (Tel: 0800-618080 – “Linha Verde”).

Se você for do Rio de Janeiro, tenha em mãos o telefone do Disque-denúncia (0xx21-2253-1177) que também recebe denúncias sobre maus-tratos, tráfico de animais, envenenamentos, trabalhos forçados, espetáculos que praticam abusos e maus-tratos (circos, rodeios, brigas de cães e de galos etc.).

A prefeitura de SP tem um site onde você pode fazer solicitações de seus serviços, incluindo denúncias contra maus-tratos. O site é: http://sac.prodam.sp.gov.br/, mas tal procedimento é mais demorado e o auxílio pode vir tarde demais.

Uma outra dica também muito importante: Você sabia que as Associações de Bairro representam uma força associativa que pode provocar as autoridades na tomada de atitudes concretas em prol da comunidade? Pois é, existe uma Lei de n.º 7.347,de 24.07.85, que confere a essas associações, qualificadas como entidades de função pública, ingressar em juízo na proteção dos bens públicos para preservar a qualidade de vida, inclusive com mandado de segurança (Constituição Federal, art.5º, LXX, “b”) para a preservação desse bens e como a fauna é um patrimônio público, esta associação tem legitimidade para tanto. Portanto, se o seu bairro estiver organizado em Associação, procure-a e peça que alguém o acompanhe até a Delegacia ou ao Fórum mais próximo.

Não se esqueça também que o B.O. pode ser feito, dentro da Grande São Paulo, pela internet, através do site http://www.seguranca.sp.gov.br; basta preencher o B.O. na tela do computador e, em após um espaço de tempo, a Polícia entrará em contato para a confirmação das informações prestadas. A partir daí, o B.O. estará disponível para cópia via impressora, procedimento este, também, que é muito mais demorado para determinados casos que requerem urgência.

O que fazer quando presenciar maus-tratos ou ver cavalos ou burros doentes, magros? Não chame a carrocinha. Antes, peça orientação às Sociedades Protetoras de Animais ou, ainda, informe-se melhor acessando os únicos site brasileiros totalmente destinados aos eqüinos, à sua proteção e defesa: http://geocities.yahoo.com.br/equinosbrasil/

Obras e artigos consultados:

01. Direito dos Animais, de Laerte Fernando Levai;

02. Direito dos Animais, de Diomar Ackel Filho;

03. Constituição Federal/88;

04. Código Penal;

05. Site http://www.arcabrasil.org.br ;

06. Site http://www.aprodan.hpg.ig.com.br/legisla.htm ;

07. Site http://www.ibama.gov.br ;

08. Site http://www.falabicho.org.br ;

09. Site http://geocities.yahoo.com.br/equinosbrasil/

10. Site http://www.renctas.org.br

AMEAÇA DE ENVENENAMENTO A ANIMAIS É CRIME!
Autor: Maria Cristina Azevedo Urquiola.

denuncie_cao_direitos
Foto: Ilustração

AMEAÇA DE ENVENENAMENTO A ANIMAIS

Drª MARIA CRISTINA AZEVEDO URQUIOLA – ADVOGADA – mca_urquiola@ig.com.br – (11) 9654-8038

Muito me perguntam sobre o que fazer quando algum vizinho ameaça envenenar seus animais, queixa comum quanto a gatos e cães. Gostaria de nortear a pessoa vítima dessa cruel ameaça, trançando estas poucas considerações.

Em primeiro, a “ameaça” é um crime e está previsto no art. 147 do Código Penal: “Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave: Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa”.

Segundo os penalistas como Julio Fabbrini Mirabete, a ameaça deve ser capaz de intimidar, aquela capaz de restringir a liberdade psíquica da vítima, com a promessa da prática do mal grave e injusto. O “mal” de que fala a lei, é justamente esse envenenamento que pode matar, bem como outro mal qualquer como ferir, mutilar o seu animal. O crime se consuma no momento em que a vítima toma conhecimento da ameaça.

A ameaça é crime que se apura mediante representação da vítima ou de seu representante legal, na Delegacia de Polícia.

Na dúvida sobre registrar a ameaça de envenenamento em Termo Circunstanciado ou Boletim de Ocorrência, fui pessoalmente à Ouvidoria da Polícia, que me orientou registrar um B.O. com o título “Preservação de Direitos”.

Faz-se necessário, portanto, o registro de Boletim de Ocorrência por infração ao Código Penal a fim de resguardar os seus direitos conferidos pelo art. 5º da Constituição Federal (vida, liberdade, igualdade, segurança e propriedade) e os dos animais, protegidos pela Lei Federal n.º 9.605 de 1998, para que no futuro possa ser acionado o Réu no Poder Judiciário.

Logo, você pode fazer constar no seu Boletim de Ocorrência (ou Termo Circunstanciado, como melhor ‘preferir’ a autoridade no momento) o seguinte, após narrar os fatos: “Diante da situação resolveu comparecer a esta Delegacia onde a Autoridade Policial determinou a lavratura do presente Boletim, com intuito de mover uma ação cível em desfavor da 2ª parte. Nada mais.”

Você, querendo, pode também pedir para consignar que em virtude da ameaça você tem medo de sair de sua casa e, ao voltar, encontrar suas crianças envenenadas, além dos seus animais.

Não se esqueçam de que a nossa Polícia Preventiva está aí para: Proteger a coletividade; Assegurar direitos; Manter a ordem e o bem-estar; Efetuar prisões em flagrante e de egressos das prisões.
Em segundo, você conhece o excelente “MODELO/ ORIENTAÇÃO PARA PREENCHIMENTO DA “NOTÍCIA CRIME”, que o Instituto Nina Rosa (http://www.institutoninarosa.org.br) divulgou, elaborado pela advogada ambientalista Dra. Viviane Cabral. Preste atenção a mais esta dica:

Esse modelo apresentado pela douta colega nada mais é senão a efetivação do direito garantido no inciso XXXIV do art. 5ºda Constituição Federal, onde: “são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas: a)o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direito ou contra ilegalidade de poder; (…)”.

É isso aí, ou seja, você pode, sem a necessidade de pagar advogado para isso (bom economizar, né?), fazer a sua própria petição à Delegacia de Polícia, caso você, por algum impedimento, não pôde lavrar seu Boletim de Ocorrência nos órgãos da Segurança Púbica.
O Direito de Petição cabe a qualquer pessoa, física ou jurídica, por indivíduo ou grupo de indivíduos, por nacionais ou estrangeiros e pode ser dirigido a qualquer autoridade do Legislativo, do Executivo ou do Judiciário, QUE TEM O DEVER DE SE PRONUNCIAR SOBRE ELA, acolhendo-a ou não, com a devida motivação.

Em terceiro, agora vai mais uma porta pra gente bater quando na delegacia de polícia não logramos êxito ao tentar denunciar maus-tratos a animais, seja na forma de prevenção, como a lavratura do termo de preservação de direitos, seja na forma de repressão.

Desde 1º de janeiro/06, Um convênio firmado com a Ouvidoria da Polícia do Estado de SP permite que as 216 subsecções da Ordem recebam críticas e sugestões sobre o trabalho das Policias Civil e Militar, preservando o sigilo.

O presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D´Urso, ressaltou, ainda, que outro canal de comunicação para o recebimento das críticas e sugestões da população será o link no site da OAB-SP, que permite acesso direto à página eletrônica da Ouvidoria, para que o material enviado seja encaminhado por meio digital, preservando sigilo.

*Obras e artigos consultados:

01. Direito dos Animais, de Laerte Fernando Levai;

02. Direito dos Animais, de Diomar Ackel Filho;

03. Constituição Federal/88;

04. Código Penal;

05. Ouvidoria da Polícia Civil do Estado de São Paulo

RECLAMAÇÕES, QUEIXAS E SUGESTÕES SOBRE A ATIVIDADE POLICIAL
http://www.ouvidoria-policia.sp.gov.br

DISQUE- OUVIDORIA

DA POLÍCIA 0800-177070
Atendimento
de 2ª à 6ª feira
Das 9:00 às 17:00 h

ATENDIMENTO PESSOAL
das 9:00 às 15:00 h
Rua Libero Badaró, 600

Em quase nove anos de existência, esta Ouvidoria vem consolidando, pouco a pouco, o seu papel institucional de efetiva contribuição para a melhoria e o aperfeiçoamento da atividade policial, sobretudo nos aspectos da legalidade, eficiência e prática dos valores democráticos.

Drª MARIA CRISTINA AZEVEDO URQUIOLA – ADVOGADA – mca_urquiola@ig.com.br – (11) 9654-8038

*A reprodução desta obra é autorizada, desde que respeitada a autoria e a bibliografia.

“Deus nos fez perfeitos, ele não escolhe os capacitados. E sim capacita os escolhidos. Fazer ou não algo só depende de nossa vontade e perseverança. Albert Einstein.”

Maus-tratos e abandono é crime e está previsto na lei de crimes ambientais, número 9605/98. A pena pode variar de três meses a um ano. A punição pode ser aumentada de 1/6 a 1/3 em caso da morte do animal.

Fonte: Florais e Cia – Terapias para animais e humanos

*VISITE O SITE DA APASFA E SAIBA MAIS SOBRE COMO DENUNCIAR MAUS-TRATOS CONTRA ANIMAIS – CLIQUE AQUI

*Contatos importantes:

1. Promotoria de Justiça do Meio Ambiente:

São Paulo

0xx11-3119.9524

Salvador/BA

Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Meio Ambiente – CEAMA

Rua Pedro Américo, no 13, Jardim Baiano, Nazaré, Salvador/BA – CEP: 40.050-340

Telefone: (71) 3321-6656 / 3322-1871 / 5089 – Ramais 220 e223

2. Denúncia ao Ministério Público:

Rio Grande do Sul

Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente

Rua Márcio Luiz Veras Vidor, 10,. 9º andar, sala 931 – Praia de Belas – Porto Alegre-RS

Fones: (0xx51) 3224-3033, ramais 1009 e 1050

E-mail: meioambiente@mp.rs.gov.br

Rio de Janeiro

Fone: (0xx21) 2261-9954

São Paulo

Fone: (0xx11) 6955-4352

E-mail: meioamb@mp.sp.gov.br

Santa Catarina

Fone: (0xx48) 229-9000

E-mail: pgj@mp.sc.gov.br

3. Caso seja mal atendido na Delegacia:

São Paulo

Polícia Civil:

Fone: (0xx11) 3258.4711; 3231.5536 e 3231.1775 – Rua da Consolação, 2333

Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo:

http://www.ssp.sp.gov.br

Rio Grande do Sul

Secretaria de Justiça e Segurança – Rio Grande do Sul

http://www.sjs.rs.gov.br/

Ouvidoria da Secretaria de Justiça e Segurança

Rua Sete de Setembro, 666, 2º andar, de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h.

Telefone 0800-999801, funciona das 10h às 17h nos dias úteis.

Caixa Postal 1100, Porto Alegre/RS.

E-mail: ouvidoria@sjs.rs.gov.br

4. Polícia Florestal:

São Paulo

(11) 221.8699; São José do Rio Preto: (17) 234.3833; Guarujá: (13) 354.2299; Birigui: (18) 642.3955

5. IBAMA:

(Tel: 0800-618080 – “Linha Verde”).

6. Disque-denúncia:

RJ – 0xx21-2253-1177

RS – 9090-3288-5100 (ligações de Porto Alegre) ou (0xx51) 3288-5100 (ligações do interior do Estado)

Fonte: http://www.eugostodebicho.com.br

VEJA O VÍDEO NO YOUTUBE SOBRE COMO DENUNCIAR MAUS-TRATOS COMETIDOS CONTRA OS ANIMAIS. CLIQUE AQUI!

denuncia_capa_irmaos

Animais e humanos em equilíbrio com Terapia Floral

Animais e humanos  em equilíbrio com Terapia Floral

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Por Kátia Monteiro
Os 38 Florais de Bach são essências que foram desenvolvidas nos anos 20 e 30 pelo homeopata e bacteriologista inglês Edward Bach, no Bach Centre em Mount Vernon na Inglaterra. Os florais são utilizados por profissionais de diversas  áreas ligadas à saúde como medicina, psicologia e veterinária, entre outras. As essências agem sobre os estados emocionais de homens e animais e podem ser utilizadas até mesmo para estimular as atividades vitais das plantas.
Reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde, os florais de Bach atuam da superfície para a profundidade, fazendo com que a partir de estados conscientes, aflorem os sentimentos inconscientes. A forma como os florais atuam sobre os seres vivos é por meio do estímulo de reações energéticas, físicas e psíquicas. Sua ação pode durar de horas a dias, tudo vai depender da sensibilidade do indivíduo.
Edward Bach tinha como princípio básico, que a enfermidade é o resultado de um desequilíbrio emocional, que modifica o campo energético das pessoas. Se esse desequilíbrio não for tratado, poderá provocar alterações no corpo físico. Esse conceito faz parte das medicinas ligadas às tradições milenares como a chinesa, hindu e islâmica. É possível uma pessoa se automedicar com os florais. Entretanto, os médicos aconselham que nos casos de desequilíbrio intenso ou doenças graves, deve-se procurar ajuda de um profissional habilitado.
A ginecologista e diretora da Clínica da Família de Salvador, Dra. Maria da Conceição Rocha, passou a utilizar em seus pacientes os Florais de Bach, depois de ter se curado de uma disfunção cardíaca grave considerada incurável, utilizando as essências de Bach. “Como sabia que a origem do meu mal era emocional, procurei um especialista em florais. Fui medicada e em uma semana estava curada”, afirma.
Para Maria da Conceição, os florais de Bach melhoram a compreensão da vida e levam o paciente a se harmonizar com o ambiente e consigo mesmo. Conceição explica que crianças reagem melhor ao tratamento por estarem mais desbloqueadas mentalmente, e os animais e plantas também respondem positivamente a terapia. “Os florais ajudam o organismo a vibrar num outro tom com mais harmonia. Se a pessoa resiste, pode não perceber a melhora, mas sempre acontece uma mudança energética. Se está usando uma medicação, ela vai agir mais intensamente”, afirma.

Florais: gotas de energia que curam

floraisNo livro Enciclopédia Compacta da Cura pelas plantas – com Florais de Bach, do Dr. E.A. MauryChantal de Rudder, a cura dos estados emocionais em desequilíbrio ocorre, porque ao tomar uma ou mais essências florais, o paciente passa a ter maior consciência dos seus processos psíquicos. Isto faz com que o indivíduo sofra mudanças nos sentimentos, de forma que a inveja se transforma em admiração, o medo em atenção, a insegurança em cuidado, o ódio em amor.
 Segundo Talita Margonari Laruzzi, arquiteta, terapeuta floral com especialidade em antroposofia e administradora do laboratório brasileiro dos Florais de Sant Germain, as doenças – que não são de origem genética – são manifestações de experiências não superadas no campo emocional. Estes sentimentos causam bloqueios energéticos e os florais agem desbloqueando e elevando os padrões vibratórios. “Não existe qualquer contra indicação na aplicação dos florais. O floral é literalmente uma gota de energia e luz, que atua nos pontos fragilizados de nosso campo bioenergético”, afirma Margonari.
O Brasil tem realizado pesquisas sobre florais e como resultado surgiram essências como os Florais de Minas Gerais e os Florais de Sant Germain. O sistema de Minas Gerais com mais de setenta flores foi o primeiro desenvolvido no Brasil em 1989 por Breno Marques e Ednamara Batista, com base nas essências do Dr. Edward Bach. Desde 1992, a arquiteta, artista plástica e terapeuta floral Neide Margonari pesquisa e produz a linha de essências Florais de Sant Germain composta por 80 flores, que atuam na transformação, limpeza e elevação dos estados mentais e emocionais negativos dos indivíduos.

 

Os Florais utilizados na medicina veterinária

 

gato Shironeko
Foto: Getty Images / Gato Shironeko
Os Florais de Bach e outros como Florais de Minas e Sant Germain – produzidos no Brasil – tem sido utilizados na medicina veterinária, devido aos animais possuírem emoções iguais aos seres humanos como ciúme, raiva, agressividade, medo e tristeza. Doenças como câncer, cinomose, obesidade, sarna de ouvido e infestações por pulgas e carrapatos tem sido tratadas com o auxílio das essências florais.
A veterinária Maria Leonora Veras de Mello, afirma que não existe contra-indicação para a utilização dos florais em animais. Sua ação pode ser explicada a partir dos princípios das terapias vitalistas e vibracionais como a Homeopatia, a Acupuntura e o Reiki. A energia contida nas flores liberada através de processos laboratoriais, age sutilmente no duplo etérico do animal, reequilibrando o fluxo de energia. “Haverá melhora física com o uso de florais, porque o emocional se estabilizou e o fator desencadeante dos sintomas foi corrigido”, afirma.
Embora utilize os florais nos seus pacientes, Leonora não acredita que apenas a sua utilização possa curar os animais com doenças graves como o câncer. Ela explica que a terapia Floral serve como auxiliar a outras terapias, por preservar e equilibrar o emocional do paciente. “A Terapia Floral, em casos mais graves de doenças físicas, deve ser associada a tratamentos  mais eficazes. Deve-se levar em conta que não conseguimos penetrar totalmente nos distúrbios emocionais de nossos amigos animais. Temos de fazer suposições e interpretações para prescrever algum medicamento”, afirma.
Os veterinários recomendam não adicionar conservantes (conhaque) nos florais feitos para os animais, pois as soluções alcoólicas os fazem babar. Nesse caso é preferível diluir a essência em água mineral. Segundo Leonora, os florais também podem ser preparados em glicerina em vez do brandy. Cães e gatos tomam em média quatro gotas duas vezes ao dia, enquanto que animais de grande porte como cavalos precisam ingerir 10 gotas. As essências podem ser colocadas na água do bebedouro; na boca em situações de emergência ou stress; em compressas sobre hematomas ou no mel para pássaros e borboletas.

Para que servem os florais de Bach:

Medo

Rock Rose: medo, pânico, terror e emergências graves.
Aspen: medos vagos e sem explicação. Maus pressentimentos e ansiedade.
Cherry Plum: medo de perder o controle ao ponto de machucar a si mesmo ou alguém.

Red Chestinat:
medo de que ocorram coisas ruins com as pessoas que ama ou preocupação excessiva pelos outros.
Insegurança

Cerato: falta de confiança em si para tomar decisões.
Gorse: desiste facilmente dos seus objetivos, desesperança e pessimismo.
Gentian: desânimo diante de qualquer obstáculo. Falta de fé e dúvida.
Scleranthus: indecisão em relação a duas opções, hesitação e incerteza.

Wild Oat:
não sabe que caminho seguir na vida. Dificuldade em escolher uma vocação, insatisfação e incerteza.
Falta de interesse no presente
Mustard: melancolia sem explicação, que pode causar estados depressivos.
Clematis: vive distraído e sonhando acordado. Desinteresse e apatia.

Chestnut Bud:
repetição dos mesmos erros. Não aprende com a experiência.

Honeysuckle:
nostalgia, saudade. Vive de lembranças passadas.

Olive:
esgotamento físico e mental.
Wilde Rose: não se esforça para melhorar e não luta por nada. Conformismo e resignação.

White Chestnut:
pensamentos persistentes que atormentam.
Solidão
Water Violet: para quem é orgulhoso, reservado e prefere ficar sozinho.

Heather:
pessoa que detesta ficar sozinha. Precisa contar seus problemas para todos e preocupa-se em excesso consigo mesmo.
Impatiens: ansiedade, irritabilidade e impaciência.
Sensibilidade excessiva as opiniões dos outros

Walnut:
necessidade de proteção em fases de mudança, puberdade, menopausa, divórcio.
Holly: raiva, ódio, inveja, ciúme e desconfiança. Trabalha o amor que valoriza todas as coisas e dá sentido a vida.
Centaury: para quem é fraco e procura proteção de alguém mais forte. Ansioso por agradar ou servir. Descuida de si para agradar os outros.

Agrimony:
não assume seus sentimentos e possui grande angústia interior sob uma aparência alegre.
Desalento ou Desespero

Sweet Chestnut:
sentimento de haver chegado ao limite em momento de grande angústia.
Larch: não se arrisca, pois acha que vai fracassar. Sentimento de inferioridade e falta de confiança em si.

Willow:
extrema tristeza, pessimismo, ressentimento. Sente-se injustiçado pela vida e tem vergonha de si.
Pine: sentimento de culpa pelas falhas dos outros. Exigente consigo.

Oak:
pessoas fortes que se esquecem do lazer e só pensam em trabalhar.
Elm: quando a pessoa se sente sobrecarregada e sem forças para continuar suas tarefas.
Crab Apple: melhora a auto-estima. Para pessoas que sentem vergonha de si.
Preocupação

Rock Water:
muito rígido consigo mesmo. Precisa sempre ser um exemplo para todos.
Beech: crítico e intolerante com os outros.
Chicory: egoísta, possessivo e superprotetor.
Vervain: excessivamente esforçado, dono da verdade e entusiasmado. Aquele que quer converter todos as suas idéias e crenças.

Vine:
dominador e inflexível, que passa por cima de tudo e de todos, como um tirano. Exige obediência absoluta e governa pelo medo.

Rescue Remedy

floral rescueEdward Bach criou uma fórmula especial chamada Rescue para ser utilizada em casos de emergência como acidentes ou traumas. Rescue contém cinco Florais de Bach: Star of Bethlehem (para o choque), Rock Rose (pavor), Impatiens (estresse), Cherry Plum (perda de controle) e Clematis (perda de consciência).

girassol

 CONHEÇA OS FLORAIS PARA ANIMAIS

cachorro florais

 

florroxa

FLORAL DE BACH PARA ANIMAIS

 

AGRIMORY – Animal atormentado por picada de pulgas ou carrapato – inquieto, morde suas feridas. Não gosta de viajar de carro.
ASPEN – Animal com terror de causa desconhecida, medo de trovões, chuvas fortes, bombas.
BEECH – Cães que latem e choram constantemente, rosnam e atacam desconhecidos. Gatos que urinam objetos novos que chegam na casa.
CENTAURY – Animal que fica atrás tutor – não se defende, se deixa agredir por outro cão. Para lutar contra uma enfemidade, depois de acidente, parto difícil.
CERATO – Animal desatento, que se distrai facilmente. usado para obdecer o tutor.
CHERRY PLUM – Animal que se stressa com pessoas estranhas, outros animais, ruídos fortes, viagem de avião – cão que se morde sem parar, persegue o rabo, tira sutura cirúrgica, destrói jardins da casa, muito nervoso.
CHESTNUT BUD – No adestramento – para o animal não repetir os erros, estimular a memória emocional e o aprendizado. Tirar maus hábitos – cães que saltam nas pessoas, correm atrás dos carros, mordem sapatos.
CHICORY – Enfermnidade para chamar a atenção (psicossomática) – Mães possessivas pela cria e seus tutores – falsa gravidez (pseudociese) cães que não ficam sozinhos, querem total atenção.
CLEMATIS – Para aumentar a concentração no adestramento – animal apático e sonolento – Para cães de guarda ficarem alertas.
CRAB APPLE – Animal que foi maltratado, abandonado e está muito perturbado – gato intoxicado.
ELM – Cães e gatos quando são engaiolados – para viajar de avião, trocam de casa ou tutor.
GENTIAN – Animal na qual todas as crias nascem mortas – restabelecimento pós-cirúrgico.
GORSE – Animal desprezado por um câncer, caso cirúrgico, artrite.
HEATHER – Quer dormir na cama do tutor, centro das atenções. Chora por companhia, não tolera solidão. Sempre tem motivo para latir.
HOLLY – Ciumento, bravo, maltratado, late para todos, agressivo com outros da mesma casa – desconfiado late muito, ciumento quando o tutor está com outros cães.
HONEYSUCKLE – Animal que está hospitalizado, foi vendido ou levado a outro lugar, perdeu seu querido tutor ou a sua parceira.
IMPATINS – Nervoso, impulsivo, ansioso antes de qualquer exposição. Para qualquer tipo de dor.
LARCH – Maltratado e apanhou muito, tem falta de confiança em si mesmo. Esconde-se.
MIMULUS – Animal que tem medo de tudo, pessoas, trovão, barulhos, dominado por outro, se escondem, latem muito – gato nervoso.
MIUSTARD – Depressão no cio, velho que prefere ficar só, e se alguém o incomoda ele morde.
OAK – Animal stressado por artrite, dificuldade de levantar-se quando está descansando. Animal que jamais se queixa.
OLIVE – Animal enjaulado que se esgota tentando fugir. Stress.
PINE – Animal que assume uma culpa sempre que o tutor está irritado, mesmo que a culpa não seja sua.
RED CHESTNUT – Mãe excessivamente preocupada com seus filhotes eseu tutor.
ROCK ROSE – Animal stressado, assustado que late para todos por medo.
ROCK WATER – Animal intransigente, ruim para comer.
SCLERANTHUS – Animal com problemas de equilíbrio.
STAR OF BETLHEHEM – Trauma emocional por ter perdido o tutor, abandonados, maus tratos, ferimento grave. Quer consolo.
SWEET CHESTNUT – Ativo, obrigado a permanecer num espaço pequeno, isolado.
VERVAIN – Hiper ativos, tensos, excitados, que não param de latir, briguento, desafiante.
VINE – Animal que domina os mais fracos e os mais jovens, cães dominantes que latem muito no seu território.
WALNUT – Floral de mudança de tutor, casa, para romper laços com antiga residência, cadelas e gatas gestantes, viagem de carro, avião, trovões, ruídos fortes.
WATER VIOLET – Animal que quando doente, prefere estar solitário, aflito pela morte do tutor. Gato orgulhoso, aflito pela morte do tutor. Gato orgulhoso, independente, que sempre se mantém só ou afastado, sem intenção com seu tutor.
WILD OAT – Animal que estraga a casa, que faz xixi nas cortinas porque está aborrecido.
WILD ROSE – Animal apático, velho, arisco ou mal humorado.
WILLOW – Cão que ignora seu dono, porque o deixa só. Gato ressentido que urina na cama por algo que seu tutor tenha dito.
RESCUE REMEDY – Cão que não se deixa tocar, mordedor e desconfiado das pessoas. Se perdeu ou trocou de lugar, infestação de carrapato e pulgas, emergência física e mental reviver um animal dado por morto.

Fonte: Esta lista de Florais de Bach com informações  para o uso em animais foi obtida a partir do Material informativo produzido pela Farmácia Erva Doce.

Amizade entre ex-sem-abrigo e gato dá origem a livro

Sábado, 16 de março de 2013

Foto: Ilustração/ Gato Bob e seu tutor James Bowen, autor do livro “Um Gato de Rua Chamado Bob”
Foto: The Street Cat/ Gato Bob e seu tutor James Bowen, autor do livro “Um Gato de Rua Chamado Bob”
A história verdadeira de um ex-sem-abrigo e antigo toxicodependente que recuperou a sua vida graças à amizade de um gato deu origem a um livro que já é um ‘best seller’ e que deverá, em breve, ser adaptado ao grande ecrã.

Continuar lendo Amizade entre ex-sem-abrigo e gato dá origem a livro