10 Mitos sobre o Veganismo e dieta Vegana

10 Mitos sobre o Veganismo, Veganos  e Dieta Vegana

Muitos são os mitos relacionados ao Movimento Vegan, mais conhecido como Veganismo, bem como a dieta vegana adotada pelos veganos. Então, hoje resolvi desmistificar alguns dos mitos mais comuns.
Antes de começar, acho importante deixar claro mais uma vez, que o Veganismo é uma movimento de luta pelos direitos animais, e não é uma dieta, como algumas pessoas pensam.

É importante esclarecer que todo vegano é vegetariano estrito, ou seja, não consome nenhum produto de origem animal, mas nem todos os vegetarianos são veganos. Não é vegana uma pessoa que é vegetariana, ou tem uma dieta vegana por questões de saúde, estética ou religiosa, mas não segue os princípios do Veganismo.
O que caracteriza uma pessoa como sendo vegana é quando esta não consome nenhuma produto de origem animal, como carne, ovos, mel, leite e os derivados. Além disso, os veganos não compram animais e não frequentam locais ou espetáculos que os explorem e os submetam a maus-tratos como circos, zoológicos, feiras de exposição de animais, shows com animais aquáticos (golfinhos, baleias, focas) , entre outros. A maioria dos veganos também não compram produtos que possuam ingredientes de origem animal e produzidos por empresas que fazem testes em animais.
Agora que esclareci o mais importante sobre o Veganismo, veja quais os 10 mitos mais comuns sobre o Veganismo, os veganos e a dieta vegana.

 

  • Mito 1: Vegano não consome proteínas.
A dieta vegana é riquíssima em proteínas, seja proveniente dos leites vegetais, como por meio das frutas, legumes, verduras. Exemplos de alimentos com muita proteína são o feijão de qualquer tipo, arroz integral, arroz parboilizado e outros tipos, lentilha, milho, trigo, quinoa, grão de bico, entre outros vegetais. Além disso, veganos podem obter o ferro e outros minerais também por meio destes alimentos e também consumindo brócolis, espinafre,couve.. Para aqueles que se preocupam com a falta de ômega 3 no organismo, as sementes como chia e linhaça, castanhas, nozes e os óleos de linhaça e azeite de oliva são boas fontes deste nutriente.

 

  • Mito 2: A dieta vegana é cara e difícil de encontrar os alimentos veganos. 
A dieta vegana ser cara e os alimentos para veganos serem difíceis de achar é outro mito surreal. Qualquer pessoa consegue achar até em um pequeno mercado ou feira no seu bairro, os alimentos básicos para uma dieta vegana equilibrada, que são feijão, arroz, legumes, verduras e frutas. Para fazer os leites vegetais é facílimo encontrar amendoim, aveia, coco, semente de girassol, arroz. É bem mais barato se alimentar com estes vegetais que consumir carne que está cada vez mais cara. Além disso, tem mais opções de locais para comprá-los que a carne. Uma boa opção para consumir alimentos orgânicos com custo zero é fazer uma pequena horta na sua casa.

 

  • Mito 3: Todos os veganos são naturalistas e tem uma dieta sem consumo de açúcar, frituras, doces e salgados. 
Este é um dos mais graves e comuns mitos relacionados ao veganismo. Muitas pessoas acreditam que todos os veganos, sem exceção,  são naturalistas, não comem nenhum alimento industrializado, nem açúcar, frituras, doces e salgados. 
Esta confusão ocorre principalmente porque algumas pessoas acreditam que o Veganismo é uma dieta vegetariana. Não sabem que o Veganismo não é uma dieta, mas sim um movimento de luta pelos direitos animais. A verdade é que os veganos podem comer qualquer alimento, como enlatados, frituras, doces e salgados, desde que não tenha nenhum ingrediente de origem animal.
Existem diversas versões veganas de comidas feitas com carne e outros ingredientes de origem animal. Basta visitar os blog, sites e canais no YouTube de veganos para ver quantas receitas deliciosas de bolos, tortas, coxinhas veganas, quibes veganos, sorvetes, pizzas, lazanhas, chocolates e muitas outras guloseimas.
Alguns veganos são naturalistas, porque querem ter uma alimentação saudável e ao mesmo tempo lutar pelos animais.  A grande revelação é que a maioria dos  veganos não são naturalista e nem pretendem tornar-se. Os veganos não comem carne, não é para ter saúde ou um corpo em forma, mas para garantir os direitos dos animais, especialmente a vida e o direito de serem livres. A alimentação saudável dos veganos é apenas uma consequência de não se alimentarem de carne e consumirem vegetais que são mais nutritivos e saudáveis.

 

  • Mito 4: Todos os veganos são magros e tem facilidade. para emagrecer.
Existem veganos com vários tipos físicos e certamente não são todos magros. Alguns veganos tem uma constituição física genética que determina um corpo magro. Tem aquele que tem porte atlético por praticar exercícios físicos e ter uma alimentação saudável e equilibrada.
Outros veganos embora tenham uma dieta vegana, comem muita massa, frituras, doces que tem muitas colorias o que ocasionam o aumento do peso. Pode acontecer também do vegano ter algum problema físico, que favoreça o aumento de peso. Então, ser vegano não garante um corpo magro.
A boa notícia em relação a alimentação vegana é que se uma pessoa tem uma dieta vegana balanceada, rica em fibras, vitaminas, proteínas e aminoácidoas, aliado a atividade física, pode tanto perder peso como também ajudar a mantê-lo.

 

  • Mito 5: A dieta composta por leites e queijos vegetais não supre os nutrientes do leite de vaca e seus derivados.
Este é mais um mito absurdo. Os leites vegetais como leite de amendoim, aveia, arroz integral, semente de girassol, coco e os seus derivados como os queijos feitos com estes leites, tem proteínas, ferro, cálcio, zinco, magnésio, vitaminas A, E e Complexo B.

 

  • Mito 6: Todo vegano tem que consumir soja e seus derivados como tofu, tempe e missô para ser saudável.
Os veganos não tem obrigação de adicionar a sua dieta soja e seus derivados como tofu, tempeh e missô. Existem outros alimentos vegetais com os mesmos nutrientes e alguns até com maior quantidade de fibras, proteínas, vitaminas, minerais. Além disso, a soja é defendida por algumas pessoas como um alimento saudável, mas outras afirmam que não fazem tão bem a saúde, pois a maioria é transgênica, com raras exceções.
Tem também uma questão importante em relação a PTS – Proteína Texturizada de Soja ou PVT – Proteína Vegetal Texturizada que não é nada saudável, mas é vendida como um alimento nutritivo e essencial para alimentação dos veganos e vegetarianos.
Este é um dos piores mitos, pois a Proteína Texturizada de Soja – PTS  é a mais prejudicial, pois além de não ter quase nenhum nutriente, no processo de fabricação são utilizados solventes a base de petróleo e glutamato monossódico, que podem deixar resíduos destas substâncias neste “alimento”. Além disso, glutamato monossódico, que é um realçador de sabor, quando consumido regularmente pode causar obesidade, danos oculares, cefaléia ( dor de cabeça), fadiga, desorientação, depressão, sonolência e fraqueza.
Algumas vezes é difícil quando estamos na rua, não comer algum alimento com PTS, pois infelizmente alguns restaurantes, lanchonetes  de lojas de produtos naturais, insistem em fazer comidas com esta “iguaria” e até somente oferecem esta opção para veganos. Mesmo assim, tente encontrar um local que venda um suco ou água de coco, invés de comer algum lanche com PTS.

 

  • Mito 7: Comida vegana é muito “leve” não tem nutrientes suficientes para manter as pessoas bem alimentadas. 
Algumas pessoas que não estão acostumadas com os alimentos veganos, quando comem a primeira vez, sentem como se não tivessem comido o bastante, ou não ingerido os nutrientes necessários para o organismo. Este também é um mito. Um prato vegano bem equilibrado com feijão, arroz, verduras e legumes tem todas as vitaminas, proteínas e os nutrientes essenciais para manter a pessoa com disposição, vigor e até sentir-se bem alimentada durante um longo período.
A pessoa que não é vegana e come pela primeira vez uma refeição vegan, pode ter esta sensação de “leveza” no estômago, porque ela está acostumada com a carne que é pesada e leva mais tempo para ser digerida. Tanto que é comum, quando alguém se torna vegano, comer mais vezes e os alimentos em maior quantidade. Isto ocorre, não somente por causa desta impressão que comeu pouco, como também porque a comida vegana quando bem feita é tão deliciosa que desperta a gula dos novos veganos.
Além disso, quem não conhece a forma correta de combinar os alimentos veganos, termina ingerindo menos nutrientes, dando a impressão que está mal nutrido. Entretanto, com o tempo, a pessoa que aderi a dieta vegana equilibrada, passa a se acostumar com os alimentos de origem vegetal. sentindo-se bem alimentada por um período até maior que quando consumia a carne.

 

  • Mito 8: Veganos tem deficiência de cálcio, porque não existem vegetais que tenham este nutriente
Este mito é totalmente infundado, pois a dieta vegana contém uma infinidade de alimentos ricos em cálcio, como os leites vegetais, brócolis, couve, espinafre, amêndoas, nozes, avelãs, laranja, feijão branco, cebola, grão de bico, agrião, entre outros.

 

  • Mito 9: Apenas veganos tem deficiência de vitamina B12 e vão morrer porque não tem como fazer a reposição deste vitamina.
Este é um mito que preocupa algumas pessoas que desejam tornar-se vegana. A boa notícia é que está preocupação é infundada, pois é possível fazer a suplementação de B12.
A vitamina B12 é importante para a produção de DNA, RNA e mielina, bainha adiposa que envolve as fibras nervosas.  Além disso, a B12 atua na formação dos glóbulos vermelhos, bem como no crescimento e divisão das células.
A vitamina B12 é a única que não é encontradas nos vegetais. A B12 é sintetizada por bactérias presentes no solo, sendo ingerida por herbívoros, quando se alimentam de plantas que as contém. Estas bactérias não são produzidas nem por animais de grande porte e nem vegetais as produzem.
As plantas adquirem as bactérias que sintetizam a B12, quando são cultivadas em solos onde elas estão presentes. Os produtos de origem animal contém B12, somente porque o animal que os originou, comeu plantas contaminadas com estas bactérias.
Todas as vitaminas do Complexo B, exceto a B12, são encontradas em alimentos como farinhas e cereais integrais, amêndoas, nozes, avelãs, castanhas, feijão, ervilhas, lentilhas. Este é o motivo de ser recomendado que veganos façam a suplementação de vitamina B12.
Alguns países, oferecem formas de obter a B12 por meio de alimentos enriquecidos com esta vitamina, como os cereais fortificados, o tofu, o tempeh e o missô que são encontrados em lojas para vegetarianos e produtos naturais. Existe principalmente, a possibilidade de fazer a reposição de vitamina B12, através de suplementos vitamínicos.
O organismo humano tem uma reserva de B12. A preocupação que as pessoas devem ter em relação a vitamina B12, é devido a escassez no corpo, que pode ser causado por alguma doença ou estresse. Alguns dos sintomas de falta desta vitamina são fadiga, falta de apetite, anemia e formigamentos nas mãos e nos pés.
Entretanto, engana-se quem acredita que apenas veganos que podem vir a ter um escassez de B12. Estudos científicos comprovaram, que algumas pessoas que comem carne também podem ter deficiência desta vitamina.

 

  • Mito 10: Veganos não tem resistência física e não podem ser atletas nas modalidades que exigem esforço físico..
Outro mito incrivelmente absurdo. Existem tantos atletas veganos ou adeptos da dieta vegana que seria impossível colocá-los todos neste post. Então, vou citar alguns exemplos, para provar que é possível ser um grande atleta sendo vegano.

.

  • Massimo Brunaccioni é um atleta italiano, personal trainer e treinador vegan, fisiculturista, CrossFitter, levantador de peso, atleta sprinter e ex-jogador de futebol profissional. Massimo afirma que tornou-se vegano, principalmente por uma questão ética, devido ao seu amor pelos animais.

 

. Tradução : Os verdadeiros homens têm um grande coração. Go Vegan!”

  • Carl Lewis é um dos atletas veganos mais conhecidos, destacando-se em salto a distância e revezamento, tendo ganhado 10 medalhas olímpicas, incluindo 9 de ouro e uma de prata. Lewis tornou-se vegano em 1990.

.

  • Meagan Duhamel é uma patinadora canadence, vegana desde 2008, que ganhou uma medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em Sochi.

.

  • Patrick J. Neshek é o jogador de beisebol mais conhecido dos Estados Unidos. Neshek tornou-se vegano depois que leu O Estudo da China de T. Colin Campbell.

.

  • Georges Laraque é um ex-jogador de hóquei profissional com descendência canadense, que ganhou em 2003 o Prêmio Best Fighter de Hockey. Laraque decidiu tornar-se vegano por questões éticas em relação aos animais e também por motivos de saúde. Ele tem apoiado diversas ONGs de Defesa dos Animais.

.

  • Brendan Brazier é um atleta canadense, que se destacou no Triathlon. Além de ser vegano, Brasier dedica-se ao veganismo. Ele é autor de diversos livros sobre o Movimento Vegan, dos quais destaca-se o “Thrive Foods: 200 Plant-Based Recipes for Peak Health” (2011).

.

  • Fiona Oakes é campeã internacional em maratonas. Nascida na Grâ-Bretanha, deixou de comer carne aos seis anos e quando tornou-se adolescente resolveu ser vegana. Na modalidade maratona, conquistou diversos títulos, atingindo muitos rankings em Londres, Berlim, Moscou e Amsterdã. Ganhou em 2013 o Pólo Norte Maratona.

Fonte: As informações sobre os atletas veganos foram obtidas por meio do site www.greenme.com.br
  • Mito Bônus: Veganos são antissociais.
Algumas pessoas insistem em dizer que veganos são pessoas anti-sociais, porque assim fica fácil simplesmente nos colocar como pessoas intransigentes e que não gostam de dialogar. Esta é uma estratégia muito usada por aqueles que tem a intenção de denegrir a imagem dos veganos e até afastar as pessoas do nosso convívio.
Afinal, se veganos são antissociais,  porque escutar quando falam sobre os princípios do Veganismo, o sofrimento dos animais, a destruição do meio ambiente devido ao desenvolvimento da pecuária e os malefícios que o consumo de carne causa no organismo humano. 
Entretanto, não depende de ser vegano para ser antissocial ou sociável. Existem pessoas que são veganas e outras que não são veganas, mas que são consideradas antissociais, porque detestam ir a festas, reuniões em família e outros locais que tem muita gente.
O que acontece, algumas vezes, é algum vegano não aceitar um convite para ir a uma festa que tenha churrasco, porque ele acredita que se participar do evento vai trair seus princípios. É um direito deste vegano, pensar deste forma e não frequentar um local onde não se sente bem.
Entretanto, existem veganos que vão aos churrascos, bem como outras festas tranquilamente. Alguns como é o meu caso, levam para estas festas alguma comida vegana para apresentar as pessoas e mostrar como a comida vegan pode ser deliciosa e sem ingredientes de origem animal. Aproveitamos e fazemos um sutil “marketing vegano”. Vale lembrar que pessoas que comem carne também rejeitam ir a locais onde não se sentem a vontade. Ou somente veganos fazem isto?
Espero ter conseguido desmistificar estes mitos sobre o Veganismo e a dieta vegana. O Veganismo é um movimento formado por verdadeiros guerreiros, que se dedicam obstinadamente a garantir que os animais tenham os seus direitos a vida e a liberdade respeitados.  Go Vegan!

 

*PARA VER O MEU VÍDEO NO YOUTUBE SOBRE OS 7 MITOS SOBRE O VEGANISMO, VEGANOS E DIETA VEGANA. CLIQUE AQUI!

MITOS VEGANISMO VEGANOS DIETA VEGANA GO VEGAN KATIA VEGANA